domingo, 5 de julho de 2009

O que você faz no Twitter?

Ontem me acusaram de estar viciada no Twitter. De fato, eu ando viciada em seguir algumas pessoas no Twitter. A partir delas, tenho encontrado coisas bem interessantes.

Ontem, apareceu um texto muito interessante sobre Barthes no Carnet de Notes. Segue a tradução:

“Eu somente posso enumerar as razões pelas quais eu imagino escrever:

1. Por uma necessidade de prazer que, sabemos bem, mantém relação com o encantamento erótico;

2. Por que a escritura descentra a palavra, o indivíduo, a pessoa, realiza um trabalho cuja origem é indiscernível;

3. Para pôr em prática um “dom”, satisfazer uma atividade instintiva, marcar uma diferença;

4. Para ser reconhecido, gratificado, amado, contestado, constatado;

5. Para cumprir tarefas ideológicas ou contra-ideológicas;

6. Para obedecer às injunções de uma tipologia secreta, de uma distribuição guerreira, de uma avaliação permanente;

7. Para satisfazer amigos, irritar inimigos;

8. Para contrbiuir para fissurar o sistema simbólico de nossa sociedade;

9. Para produzir sentidos novos, ou seja, forças novas, apoderar-me das coisas de um modo novo, abalar e modificar a subjugação dos sentidos;

10. Finalmente, (...) para creditar, assim, o valor superior de uma atividade pluralista, sem causalidade, finalidade nem generalidade, como o é o próprio texto".(não deu pra ler de que texto do Barthes isso foi retirado).

Nenhum comentário: